segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Céu de luz na Times Square.
Em meus dedos, silêncio.
O iPhone sem vida.
E eu me sinto inexplicavelmente vazio.
Céu de luz na Times Square.

Corro em busca de um lanche rápido.
Tropeço em quinquilharias.
Fumaça destemperada erupe da placa fria do boeiro.
Os letreiros luminosos
incendeiam a noite.
Babel de todas as compras.

Japoneses inusitados.
Novos ricos afetados.
Suecos estasiados.
Brasileiros ensacolados.
Franceses blassificados.
Alemães esquadrinhados.
Todos beatificados
com a igreja a céu aberto.
Os fiéis endinheirados.
Os fiéis endividados.
O fiel do senso congelado
eleva o olhar aos céus.
Céu de luz na Times Square.

Nenhum comentário:

Postar um comentário